Buscar
  • Maiquel Appel

Efeito Sanfona


Chamamos de “efeito sanfona” aquele famoso e indesejado ciclo de perda e reganho de peso que se repete muitas vezes. Qualquer pessoa está sujeita a esse efeito, mas quanto mais rápido se ganha e perde peso, maior a tendência de ocorrer o efeito sanfona.

Mas porque isso ocorre?


Quando a pessoa ganha peso ocorre aumento do volume das células de gordura, até que chega um ponto em que as células de gordura se tornam muito grandes e para estocar ainda mais gordura é preciso aumentar o número de células (hiperplasia).


Quando a pessoa emagrece as células adiposas “murcham”, perdem seu conteúdo de gordura, mas não morrem! Então quanto mais gordura o indivíduo já tiver tido, maior o número de células de gordura em seu corpo.

Só que muitas vezes a pessoa não volta a ter hábitos errados e ainda assim ganha peso de novo. Porque isso ocorre?


Quando o peso está elevado, ocorrem adaptações no cérebro e também em alguns hormônios. O hipotálamo (parte do 🧠cérebro responsável pelas sensações de fome e saciedade) tenta a todo custo fazer a pessoa retornar ao peso anterior.

A perda de peso, se muito rápida, é sentida pelo hipotálamo como uma ameaça, e o corpo reduz seu gasto energético e aumenta a fome, sabotando o emagrecimento. Essa alteração nos mecanismos de fome e saciedade, além do maior número de células gordurosas, predispõem ao efeito sanfona.


Após perder o peso desejado é importante seguir uma dieta de manutenção.


Você até pode perder peso de forma mais rápida, desde que não seja muito drástica. Porém após o peso perdido, independente se de forma lenta ou rápida, é fundamental ter uma vigilância na fase de manutenção do peso, principalmente nos primeiros 6 meses, até que seu hipotálamo se readapte ao novo peso sem considera-lo uma “ameaça”

0 visualização